Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on email
Share on twitter

Dilema no cruzamento de veículos no semáforo da Folha 33 é prioridade na Câmara

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Diversos vereadores comentaram sobre a situação da sinalização e dos acidentes que reiteradamente ocorrem no semáforo de Folha 33. Primeiro a tocar no assunto, o vereador Ronaldo da 33 (SD) citou dois acidentes ocorridos na última semana com vítimas fatais. O parlamentar solicitou que o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) instale sinalização na localidade, com um redutor de velocidade e radar. “Quando pesa no bolso o cidadão ele pensa duas vezes antes de cometer ou invadir uma preferencial”.

O vereador Aerton Grande (SD) também corroborou com o caso, e disse que no trecho da Transamazônica, passando em frente à Folha 33, só possui dois semáforos em toda a sua extensão, em frente à Secretaria de Saúde até o Km 6. Ele afirmou que existem condutores que andam em alta velocidade no local e que e sem sinalização e redutor de velocidade os acidentes vão ocorrer naturalmente. “O DNIT deve dar maior atenção as rodovias que são de responsabilidade deles. E esse é um trecho muito perigoso”.

O vereador Ilker Moraes (MDB) sugeriu uma reunião com o DNIT e DMTU e lamentou os acidentes e mortes que vem ocorrendo no local, por falta de redutor de velocidade e sinalização. Ele ainda chamou a atenção para um projeto que está em andamento de mudança no sentido das marginais, passando a ser de mão única. Para ele, é preciso verificar a questão mais profundamente e debatesse ao invés de ser pego de surpresa.

Dato do Ônibus (PSL) disse que o projeto foi modificado e que antes tinham o temporizador e que ficava fechado por algum tempo, nos dois sentidos. “Agora foi retirado isso. O sinal fecha e o outro já abre logo e seguida”, lamentou.

A vereadora Vanda Américo lembrou que o projeto sofreu alteração desde o início, para atender a um supermercado que não tinha nem a intenção de construir. Para satisfazer a um empreendimento, retiraram a primeira entrada. “Mexeram no projeto original e a Folha 33 ficou isolada. Temos de chamar o Dnit para debater uma saída e precisamos de uma sinalização no local. Esse é o momento desta Casa convidar os representantes do órgão federal para resolver o problema.

Alecio Stringari (PDT) lembrou que viveu a mudança na Folha 33, depois de ter sido desviado o viaduto que era para ter sido implantado no local. “O semáforo colocado neste local e em frente ao shopping só foi instalado por intermédio da Câmara, assim como a sinalização em frente à Havan. Precisamos, de novo, chamar o comando do Dnit em Marabá para analisarmos como podemos solucionar o problema de tráfego de veículos e de pessoas na Folha 33”.